quinta-feira, 16 de maio de 2013

Granada (Espanha) em 25 horas (parte 2)




Alhambra!

Na realidade, a visita a Alhambra foi a razão principal para visitarmos Granada e já fazia parte dos meus planos conhece-la há anos. Aliás, até tinha chegado a fazer a reserva de um hotel em Granada e inclusivamente até a escolher um horário para a entrada dos palácios Nasrid, em Alhambra, porque já sabia que era um dos monumentos mais visitados em Espanha e com entrada limitada.

Mas, desta vez não tive assim tanta sorte...

Desta vez, quando tentei fazer a reserva do mesmo no site da net, este encontrava-se indisponível.

Depois soube através de uma colega que existiam algumas vagas disponíveis no dia, se fosse de manhã bem cedo. E foi o que fizemos, mas a fila era enorme e tivemos de "seca" (não literalmente, já que apanhamos muito frio enquanto aguardavamos, imagine-se só na região mais quente da Europa) mais de uma hora e meia e quando finalmente chegamos, à bilheteira, todos os horários para os palácios Nasrid estavam esgotados nesse dia (aarghhhh...que ódio)!







Contudo, ainda haviam bilhetes para visitar todo o resto de Alhambra e passamos a manhã a deambular pelo "generalife", pelo palácio Carlos V, pela "alcazaba" e pelos jardins que são lindíssimos.






Qual cenário das mil e uma noites, Alhambra parece saída dos filmes e livros de fantasia e encantamento!








O seu estilo: arquitetónico islâmico com estruturas cristãs do século XVI, é único no mundo! Inúmeros arcos mouriscos, parte deste complexo monumental, desenvolveram-se a partir do arco em ferradura que os visigodos utilizavam nas suas igrejas, que depois de modificados serviram de base à arquitetura dos monumentos muçulmanos.




O "generalife", situado a norte, era a casa de campo dos reis dos Nasrid, os últimos muçulmanos que desocuparam a península ibérica e tem uns jardins verdadeiramente espetaculares, iniciados no século XIII, os quais não podia deixar de apreciar as suas delicadas e perfumadas flores.






As fontes, os pátios, os lagos, os jardins são numerosos e existe até uma invulgar escadaria por onde a água escorre lentamente no corrimão...Original, sem dúvida!




Um exemplo de arquitectura pós mourisca, renascentista foi o palácio Carlos V, iniciado em 1526 e que reflete o seu elevador poder enquanto imperador romano.






Neste palácio estão ainda, aqui, instalados dois espaços museológicos: o arqueológico de Alhambra, no rés do chão e o de Belas Artes, no primeiro andar. Quem não for cidadão Europeu terá de desembolsar a quantia de 1,5 € para visita-los. As fotografias estão proibidas, com pena minha, uma vez que as peças aqui presentes são peças de arte hispano-muçulmanas bastante invulgares (pelo menos na europa), como um enorme jarrão com letras árabes, localizado numa das divisões.

A "alcazaba" é o edifício mais antigo de todo o complexo e serviu como ponto estratégico de defesa e residência da guarda do sultão por ser um excelente miradouro (as vistas para as serras e Granada são soberbas), armazém militar e até como prisão.



E apesar de não ter visitado o interior dos palácios Nasrid valeu bem a visita a Granada e a Alhambra! Afinal, não é a toa que parte deste monumental espaço faz parte do património mundial da UNESCO, desde 1984 e é um dos monumentos mais visitados de Espanha!


Um último suspiro para a Sierra Nevada, depois do almoço no restaurante "La Mimbre", situado próximo de Alhambra (onde, até se come razoavelmente bem), e viemos então para Portugal, uma cansativa viagem de mais de cinco horas até ao Algarve!


6 comentários:

  1. Um dia gostaria de visitar.
    Por agora contento-me com esta janela que é o computador.
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paula,

      Seja então sempre bem-vinda! Bj

      Eliminar
  2. Com estes post abriu o apetite para uma visita, quem me dera poder ir ! As fotos são excelentes e de certa forma substituem a visita, como se tal fosse possível. As filas em Espanha são sempre um problema, pois além dos turistas que gostam, a Espanha gosta muito de si própria, aconteceu-me o mesmo em Málaga há uns 5 anos, quando fomos visitar o Museu Picasso. Uma "seca" !!!
    CR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá CR,

      Ainda bem que gostou do post. Neste momento, estou de malas aviadas para ir no próximo destino de férias...

      Beijo.

      Eliminar