quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Lugares (pouco) assombrosos: Palácio Fonte da Pipa!



  
Deixem-me fazer-vos só a seguinte pergunta: qual foi o sitio onde já sentiram mais medo na vossa vida, até agora? Em casa? Na rua? Ou então numa espécie de local abandonado, como este?



Euforia! Adrenalina! Medo! Mas porque é que eu não saí, dali, a sete pés para fora? Afinal, encontrava-me em propriedade privada e nem a inscrição "morre" na parede principal me dissuadiu de entrar. Mas como não precisava de arrombar nem portas e nem entrar à socapa pelas despedaçadas janelas, entrei e subi até ao primeiro andar e depois até ao telhado, onde já faltava uma boa parte do mesmo.

Estremeci.

O céu azulado dava, então, lugar a um céu tenebroso acinzentado! Desci e ouvi um grito demasiado humano e depois senti um sopro gelado a passar pelo meu corpo (seria o vento?). Vi, então, um homem caído no chão, numa das divisões, com o sangue a escorrer-lhe do nariz e da boca e outros dois corpos ao lado, também...

O pânico instalou-se dentro de mim e a minha cabeça, já de si agitada, ficou ainda pior. O ar pareceu ter ficado sufocante e apesar de passar ligeiramente do meio-dia era, já, de noite!

Será que eu tinha morrido e andava a vaguear no inferno? Nada disso, era hora de acordar- acordar de um dos meus piores pesadelos. Medo, muito medo! Ora, se isto fosse verdade. Pelo menos, por uns meros instantes...


Sem entrada paga, nem guia turístico, nem visita guiada e nem pesadelos (será que não ando a ver demasiados filmes de terror?!) à mistura, ali estávamos nós, há uns bons meses atrás, depois da minha chefe me ter falado de um palacete abandonado- algures ali para os lados de Loulé- o cenário perfeito para umas fotos inesquecíveis, uma história de terror e uma cache, também!

                         


Trata-se de um local privado mas nem por isso menos convidativo à descoberta (e à imaginação!) dotado de uma arquitetura soberba com as suas paredes fantásticas pintadas de frescos, algumas muito deterioradas quase a céu aberto, com uma pequena parte do telhado sem telhas e inúmeros papéis espalhados pelo chão, este com alguns pedaços bastante danificados, nas várias divisões.


Pouca história sei sobre o mesmo (e o pouco que sei, foi aqui na net): sei que no lugar deste atual edifício existia outrora uma fonte onde os habitantes Louletanos se iam abastecer. Depois do palacete ter sido mandado construído por Marçal Pacheco, no século XIX, pelo mesmo construtor do mercado municipal de Loulé e pelo decorador que também restaurou o palácio da Ajuda, foi vendido em 1920 a um banqueiro de S. Brás de Alportel!








Tendo sido posteriormente vendido mais algumas vezes, diz-se que o palacete está amaldiçoado com fantasmas (talvez por meramente interesses comerciais? ou não?) e onde se calhar até foram enterrados vítimas da gripe pneumónica, na primeira vintena do século XX!

Fora disso, o palácio Fonte da Pipa possui várias entradas (abertas) e deveria ser bastante exuberante no seu tempo, especialmente com as suas bonitas paredes e tetos excecionalmente pintados de cores pastel. Dos que restam ficam aqui registados nestas fotos, tiradas a 24 de Maio de 2015 (infelizmente, neste momento, já não deverá estar assim, pois nessa altura já existiam várias infiltrações nas paredes e a escadaria encontrava-se em muito mau estado de conservação, motivo pelo qual tivemos de ter muito cuidado para não escorregarmos)!





Este é o primeiro post que constitui um dos novos tópicos deste blog: os lugares (pouco) assombrosos [assombroso: extraordinário, bonito, grandioso], que podem ser no algarve, restante Portugal ou até mesmo noutros países!





13 comentários:

  1. Não conhecia, mas agora fiquei cheia de vontade de o visitar :o

    ResponderEliminar
  2. Uau! Faz um pouco de medo mas penso que a euforia de visitar um sítio assim compensa e muito tudo o resto!! Adorava visita-lo!
    Beijinhos e parabéns pelas fotos maravilhosas!

    ResponderEliminar
  3. Que fotos tão bonitas. Também fiquei com vontade de conhecer. Realmente devia ser um edifício muito bonito, é uma pena estar assim.

    ResponderEliminar
  4. já la estive me agosto de 2014 e não tive medo :) :)

    ResponderEliminar
  5. Olá Andreia, Carpe, Marta e Teresa:

    Antes de mais, obrigada pelos vossos comentários neste blog.

    A. C. e M: Agora se quiserem visitar o mesmo devo adverti-las para irem com companhia e de dia (nunca se sabe senão aparecerá por lá algum morto-vivo....hehe).

    Teresa, sempre foste uma rapariga corajosa e decerto terás levado acompanhamento policial (hehe).

    Beijinhos a todas.

    ResponderEliminar
  6. Belo post. Fotos cinco estrelas, "as usual", local muito bonito, mas é um património abandonado, e é pena, aí o verdadeiro "assombro" !

    ResponderEliminar
  7. r: É mesmo! Ele tem uma energia em palco contagiante *.*
    Vou registar essa dica :D ahahah

    ResponderEliminar
  8. Acho que nunca senti medo num lugar que me ficasse na memória...

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. Continua com estes posts que estou a adorar! Não conhecia, mas gostei mesmo do teu "estaminé".

    Beijinho

    http://agatadesaltosaltos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. E hoje ardeu dia 24 - 01 - 2017 já so resta algumas paredes

    ResponderEliminar
  11. Já era !!! É uma pena em Portugal tratarmos tão mal o nosso património.

    ResponderEliminar