terça-feira, 17 de julho de 2012

Cheverny, no château do Tintin

Já alguma vez estiveram numa mansão de um desenho animado? Pois...desta vez estivemos em Cheverny, no célebre château de Tintin (na realidade inspirou Hergé, na criação do château de Moulinsart, baseado no verdadeiro château sem os pavilhões exteriores).

Situado no vale do Loire, foi uma das primeiras residências privadas abertas ao público, em 1922. De facto, o palácio continua privado e pertence à mesma família (os Hurault) há mais de seis séculos, que inclusivamente até estiveram ao serviço dos reis da França. Os atuais proprietários, descendentes dos Hurault, vivem na ala direita do palácio.





O château, embora pequeno quando comparado com os dois (posts) anteriores possui uma grande riqueza interior, especialmente na sua sumptuosa decoração que até lhe valeu a designação de "palácio encantado".

Apesarem de existirem poucos vestígios da fortaleza primitiva edificada no século XV, só no século XVII, o conde Hurault e sua esposa mandaram construir um novo palácio. Este levou tanto tempo a ser construído que só a filha do casal é que conseguiu concluir a sua rica decoração interior.




Para edificar o castelo, o mesmo arquiteto que também trabalhou em Chambord utilizou uma pedra macia do rio Cher, mais sólida e com as propriedades de endurecer e branquear com o tempo ("pedras de Bourré").





O novo jardim dos Aprendizes (desde 2006) anexo ao château ocupa o lugar de um antigo jardim à francesa, das quais ainda existem os planos originais, dotado de grande beleza.





Quando se entra no interior do palácio, o primeiro aposento que se vê é a sala de jantar. Nas suas  paredes existem 34 painéis de madeira pintados com a história de Dom Quixote, muito em voga no século XVII. O mobiliário é de carvalho maciço do século XIX.





Na escadaria de honra existem motivos e temas esculpidos e a forte presença da influência italiana (existem escadas direitas seguidas de um patamar ao invés de escadaria em caracol ou espiral).





O brasão dos Hurault também aqui foi esculpido (embora aqui sem cor, trata-se de uma cruz azul anil e sóis de um vermelho intenso que se encontram pintados nos tetos e paredes de alguns aposentos).




No alto da escadaria, à direita existem os aposentos privados (que de privados não tem nada) com o quarto dos nascimentos onde as mães apresentavam os filhos recém-nascidos...





....um quarto de criança com os primeiros modelos de cavalo de madeira....





...o quarto nupcial onde está o vestido de noiva da Marquesa de Vibraye (atual proprietária que casou em 1994)....




...a sala de jantar e a cozinha.







A sala de armas é o maior aposento do castelo e apresenta uma vasta coleção de armas e tapeçarias.










O quarto do rei era reservado ao rei (chegou a ser ocupada por Henrique IV quando esteve de passagem pelo antigo castelo) e aos hóspedes mais ilustres. Com reproduções de lindas pinturas no teto, com cenas da mitologia grega, tem uma coleção única de tapeçarias nas paredes, do século XVII.








No grande salão, sem dúvida um dos aposentos mais bonitos, o teto foi restaurado no século XIX e existem várias poltronas e sofá originais assim como um conjunto de telas de ilustres personalidades.







Depois desta divisão, segue-se a galeria onde estão vários retratos de familia pintados por Clouet, pintor famoso a serviço do rei Francisco I e outras telas de pintores famosos como Rigaud (favorito do rei Luís XIV).


Centro: rei Luís XVI (vestido para a consagração)


No salão de retratos podem-se ver (como o próprio nome o indica) uma sucessão de retratos da família.







A biblioteca alberga 2000 livros com coleções completas e mobiliário antigo do fornecedor do imperador de Napoleão I.





Junto à entrada do château de Cheverny existe o museu de Tintin para os mais pequenos e até um castelo para venda (hahaha)?!

"Château a vendre"


Sem dúvida, um château pequeno em tamanho mas com um grandioso interior!


6 comentários:

  1. Linda essas histórias de Castelos... adoro-as todas...
    Estou lendo: D.Maria II, tudo por um reino...
    Obrigada pela visita ao nosso blog..
    Estamos no momento em Olhão...
    abs,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então seja bem vinda a este blog e excelentes passeios pelo Algarve. Bj grande

      Eliminar
  2. Obriga "mãedesaltosaltos". Bj grande

    ResponderEliminar
  3. Marta,

    Essa região é linda. Visitei esses castelos em 2010 e amei. São espetaculares. Viagem que deve ser feita!!!

    Obrigada pela visita ao meu blog.

    Beijo

    Claudia
    www.viajarpelomundo.com

    ResponderEliminar
  4. Cheguei a este seu blog através do comentário que deixou no "Viajar pelo Mundo". Achei muito interessante e curiosa a sua descrição deste Chateau. Eu aprecio bastante visitar castelos e palácios e imaginar como eram quando eram habitados, e fiquei curiosa por visitar este também.

    Quanto à questao que coloca no início do seu artigo. Se visitar um castelo no qual se basearam para criarem o castelo da Bela Adormecida da Disneylandia contar, entao sim, porque já visitei várias vezes o Castelo de Neuschwanstein (em Hohenschwangau na Baviera, Alemanha).

    Acho que vou voltar cá para espreitar com mais calma as suas viagens.

    ResponderEliminar